Ciência e Meio Ambiente Notícias

Temas

Home

Os mitos sobre o desejo incontrolável por um tipo de comida

Muitos acreditam que o desejo por um alimento é a forma de nosso corpo sinalizar que precisa de um determinado nutriente. Mas pesquisas mostram que é isso improvável - com uma exceção

Os desejos por comida podem não refletir o que nosso corpo precisa de nutrientes — Foto: Getty Images

Os desejos por comida podem não refletir o que nosso corpo precisa de nutrientes — Foto: Getty Images

Quando estamos com fome, praticamente qualquer comida serve, mas um desejo pode nos deixar fissurados em um determinado alimento até que ele esteja em nossas mãos (ou nossa boca).

A maioria de nós sabe como é sentir desejo por um tipo de comida. Geralmente, são as mais calóricas, e por isso estes desejos estão associados ao ganho de peso. Mas a origem desses anseios pode determinar a facilidade com que cedemos a eles.

Muitos acreditam que isso é uma maneira de nosso corpo sinalizar que precisamos de um determinado nutriente - e, para as mulheres grávidas, o que o bebê precisa disso. Mas é verdade?

Grande parte das pesquisas feitas sobre os desejos aponta que provavelmente existem várias causas para eles. E que elas são, principalmente, psicológicas.

Existem provavelmente várias causas para os desejos - e são principalmente psicológicas — Foto: Getty Images

Existem provavelmente várias causas para os desejos - e são principalmente psicológicas — Foto: Getty Images

Condicionamento cultural

No início dos anos 1900, o cientista russo Ivan Pavlov percebeu que cães antecipavam a oferta de comida em resposta a certos estímulos associados ao tempo de alimentação.

Os desejos alimentares em grande parte podem ser explicados por essa resposta condicional, diz John Apolzan, professor de Nutrição Clínica e Metabolismo do Pennington Biomedical Research Center, nos Estados Unidos.

"Se você sempre come pipoca quando assiste ao seu programa de TV favorito, seu apetite por pipoca aumenta quando você faz isso", diz Apolzan.

A vontade de comer um doce no meio tarde é outro exemplo disso. Se você deseja algo doce neste momento do dia, há uma chance de que esse desejo seja mais forte quando você está no trabalho, diz Anna Konova, diretora do Laboratório de Neurociência em Vício e Decisão da Universidade Rutgers, nos Estados Unidos.

Isso porque os desejos surgem a partir sinais externos específicos, em vez de nosso corpo estar exigindo algo.

O chocolate é um dos desejos de comida mais comuns no Ocidente - o que fortalece o argumento de que os desejos não resultam de deficiências nutricionais, porque o chocolate não tem altos níveis de qualquer coisa de que possamos ter deficiências.

Muitas vezes, argumenta-se que o chocolate é um desejo tão comum porque tem altas quantidades de feniletilamina, uma molécula que faz o cérebro liberar substâncias químicas boas como dopamina e a serotonina.

Mas muitos outros alimentos que não desejamos com tanta frequência, como laticínios, contêm concentrações mais altas dessa molécula. Além disso, quando comemos chocolate, uma enzima quebra a feniletilamina, então, ela não entra no cérebro em quantidades significativas.

Embora seja improvável que esteja suprindo uma deficiência nutricional, o chocolate é um dos desejos de comida mais comuns no Ocidente — Foto: Getty Images

Embora seja improvável que esteja suprindo uma deficiência nutricional, o chocolate é um dos desejos de comida mais comuns no Ocidente — Foto: Getty Images



O chocolate, que é desejado duas vezes mais entre mulheres do que homens, foi considerado o alimento mais desejado pelas mulheres no Ocidente antes e durante a menstruação. Apesar da perda de sangue aumentar o risco de algumas deficiências nutricionais, como de ferro, os cientistas dizem que o chocolate não restauraria os níveis deste nutriente tão rapidamente quanto carne vermelha ou verduras escuras.

Alguém poderia supor que, se algum efeito hormonal causasse uma necessidade biológica de chocolate durante ou antes da menstruação, isso diminuiria após a menopausa. Mas um estudo encontrou apenas uma pequena redução do desejo por chocolate em mulheres após a menopausa.

É mais provável que a associação entre a tensão pré-menstrual e o desejo por chocolate seja cultural. Um estudo descobriu que as mulheres nascidas fora dos Estados Unidos eram menos propensas a ligar o desejo por chocolate ao ciclo menstrual, e tinham menos desejo por chocolate do que as americanas e as imigrantes de segunda geração.

Mulheres podem associar o chocolate à menstruação, argumentaram pesquisadores, porque durante e antes de sua menstruação é a única vez em que sentem que é culturalmente aceitável comer alimentos "tabu". Uma cultura ocidental com um "ideal de beleza feminina" cria a percepção de que o desejo por chocolate deve ter uma boa justificativa.

Os desejos por comida podem ser causados pela tensão entre desejar comer e querer controlar a ingestão de alimentos — Foto: Getty Images

Os desejos por comida podem ser causados pela tensão entre desejar comer e querer controlar a ingestão de alimentos — Foto: Getty Images

Rua Domingos Marreiros, 49. Sala/210. CEP- 66.055-210
Belém - PA
Fone/Fax: 3242-5264
E-mail:
oliverbrasil9@gmail.com